22.7 C
Brasil
quarta-feira, maio 19, 2021

Adriane Galisteu revela bastidores e desafios do ‘Power Couple’: ‘Jamais penso em assumir o lugar do Gugu’

O público pediu e Adriane Galisteu se prepara para voltar em grande estilo à TV aberta neste domingo, 9. A apresentadora passa a comandar...

Cresce o interesse pelas bicicletas elétricas

Os seis meses de pandemia deflagraram evidentes mudanças no cotidiano, com o esvaziamento dos escritórios e o fechamento das áreas públicas de diversão, como os restaurantes, as salas de cinema e os estádios de futebol. Há alterações urbanas mais silenciosas — silenciosas como o barulho tímido do pequeno motor de uma bicicleta elétrica, celebrado personagem das grandes cidades. Em 2020, as vendas de modelos movidos a eletricidade devem crescer 30% em relação ao ano passado.

Houve um salto nos últimos dias, com a gradual flexibilização da quarentena e o cotidiano retomado de um outro modo. “As pessoas querem agora se locomover com distanciamento, sem aglomerações em ônibus ou metrô, de forma mais econômica e ecológica que o carro”, diz Daniel Guth, diretor executivo da Aliança Bike, Associação Brasileira do Setor de Bicicletas. Um levantamento conduzido pela instituição mostrou que mais da metade dos usuários de bicicletas elétricas deixou de usar automóvel e 87% sentiram melhora na qualidade de vida (leia o quadro).

E, como ninguém é de ferro, pedalar com providencial ajuda da tecnologia é sempre menos cansativo para quem ficou parado tanto tempo entre quatro paredes. Culpa por apelar para o motorzinho? Não. A energia elétrica serve, na verdade, para auxiliar os movimentos. Como o esforço físico (e o suor) é menor, o corpo consegue ficar mais tempo em atividade. Pode parecer paradoxal à primeira vista, mas os modelos convencionais costumam atingir picos de velocidade mais altos que as elétricas — chegam a 35 quilômetros por hora, 10 a mais que as irmãs envenenadas. O motivo: a legislação brasileira não permite motores com velocidade maior. Com preços que variam de cerca de 3 000 reais a 30 000 reais, os modelos são diversos. Os mais caros têm resistência semelhante a uma mountain bike, motores sofisticados e mais tempo de bateria — a autonomia chega a 120 quilômetros. Os mais simples têm fôlego para até 30 quilômetros. As baterias são carregadas na tomada, como qualquer aparelho elétrico. Uma das razões para o alto preço é o imposto sobre produtos industrializados (IPI). Hoje é de 35%, porcentual muito superior aos 10% cobrados das bicicletas comuns. A equiparação é um clamor dentro do setor, que encaminhou uma proposta de redução ao governo federal. Em dezembro de 2013, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamentou o uso da bicicleta elétrica no país, equiparando-a às bicicletas comuns.

O tal do “novo normal”, enfim, se dará nas ciclovias. Na capital paulista, hoje com uma malha de 500 quilômetros, há a promessa de ampliação para 673 quilômetros até o fim do ano. Será bom para o trânsito e bom para a saúde de quem pretende viver em cima de duas rodas. Estudo publicado no Jornal Europeu de Fisiologia Aplicada mostrou que manter o hábito de andar de bicicleta por quarenta minutos, três vezes por semana ao longo de um mês, reduz as taxas de glicose, aumenta a oxigenação e diminui os riscos de doenças do coração. Há ótima eletricidade no ar.

Publicado em VEJA de 16 de setembro de 2020, edição nº 2704

Continua após a publicidade

Latest Posts

Fintech que opera no Brasil desde outubro ganha aporte de R$ 210 milhões

A fintech australiana Stake acaba de receber um aporte de 210 milhões de reais para financiar seu processo de expansão global. A empresa, que desembarcou...

Diretor do ‘Power Couple’ revela qual casal protagonizou o ‘gemidão’ no reality; veja

Rodrigo Carelli, diretor do “Power Couple Brasil”, acabou com o mistério e revelou qual foi o casal que protagonizou momentos quentes dentro reality. A...

Facebook lança campanha contra exploração infantojuvenil

Em alinhamento com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, neste 18 de maio, o Facebook e...

Plasfer: Sustentabilidade a partir da reciclagem

A Plasfer Healthcare Products & Solutions, uma empresa que ajuda diversos setores na reciclagem de seus produtos, diz que é por meio...

Ultimas Notícias

Caio se incomoda com vídeo exibido na final do ‘BBB 21’: ‘Estou muito chateado’

Quando Caio entrou no “BBB 21” e viu que Rodolffo era um dos participantes do grupo camarote, ele não escondeu que é um grande...

Fátima Bernardes chora ao falar de pandemia e Paulo Gustavo: ‘Mortes poderiam ser evitadas’

Fátima Bernardes começou o “Encontro” desta quarta-feira, 5, dizendo que era para ser um dia de festa, pois falaria da repercussão da final do...

Campeã do ‘BBB 21’, Juliette conta se já respondeu mensagem de Luan Santana

Assim como disse Tiago Leifert no seu discurso na grande final do “BBB 21”, Juliette pode ter sido perseguida e excluída na casa mais...

Salão do Automóvel: a importância da tradição e suas sedes

Fernando Siqueira Carvalho, grande entusiasta do setor automobilístico, diz que todos os anos, em várias cidades do mundo, acontecem os salões de...

‘B.O. favorito’, melhor casal e melhor feat: Veja as categorias do prêmio ‘BBB 21’

O Big Brother Brasil 2021 acabou nesta terça-feira, 4, com Juliette campeã com 90,15% dos votos. Mas ainda tem algumas emoções para os fãs....