SÃO PAULO Na primeira noite após sair da

prisão

, o ex-presidente Luiz Inácio

Lula

da Silva reencontrou o ex-ministro da Casa Civil

José Dirceu

em

Curitiba

. Os dois

receberam alvará de soltura

nesta sexta-feira, depois da decisão do

Supremo Tribunal Federal (STF)

que derrubou a prisão de condenados em segunda instância.

Lula e Dirceu se encontraram e posaram juntos em uma festa organizada para o ex-presidente, no apartamento de um amigo no bairro do Patel, na capital paranaense. O encontro reuniu cerca de 30 pessoas, entre elas a presidente do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann, o ex-prefeito de São Paulo e candidato à presidência ano passado, Fernando Haddad, e o ex-senador Lindbergh Farias, além de assessores e advogados.

A namorada de Lula, a socióloga Rosângela da Silva, a filha do ex-presidente, Lurian, e o neto de Lula, Tiago, também compareceram. Os outros filhos do ex-presidente não foram à festa.

Segundo convidados, Lula estava sorridente, conversando com todos. Também atendeu várias ligações durante o encontro, onde foram servidos vinho e risoto. A festa entrou pela madrugada.

Entenda

Lula poderá ser preso de novo? Ele pode ser  candidato?

Dirceu chegou por volta de meia-noite. Ele gravou um vídeo ao lado do vice-presidente do PT, o deputado estadual Emídio de Souza. Nas imagens, Emídio comemora a libertação de Lula e apresenta Dirceu como “grande companheiro, nosso comandante José Dirceu”.

Alegria. Primeiro por reencontrar meu amigo e companheiro Emídio. E agradecer a todos vocês pelo apoio, solidariedade, presença amiga, mais do que camarada. E dizer que estou voltando para outra trincheira. Estava na trincheira da prisão. Agora estou aqui de novo na trincheira da luta disse Dirceu.

No vídeo, o ex-ministro ainda afirmou que a bandeira não é mais “do Lula livre”: “Agora é para nós voltarmos e retomarmos o governo do Brasil. E para isso nós precisamos deixar claro que nós somos petistas, de esquerda e socialistas. Nós somos tudo o contrário do que esse governo está fazendo. Uma boa noite para vocês, viu”.

Ascânio: Solto, Lula será o adversário que Bolsonaro ainda não teve

Dirceu deixou o Complexo Médico Penal (CMP),  na região metropolitana de Curitiba, horas depois de Lula. O juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba o mesmo que soltou o ex-presidente concedeu alvará de soltura a Dirceu após consultar o Ministério Público Federal (MPF) sobre um pedido de prisão preventiva expedido em março de 2017 que não foi rejeitado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Já Lula deixou na tarde de sexta-feira a carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, depois de passar 580 dias em cela improvisada para o cumprimento da pena imposta a ele pela Justiça Federal.

Condenado pela primeira vez na Lava-Jato em junho de 2017, o ex-presidente estava preso desde 7 de abril de 2018 na capital paranaense, onde cumpria pena de 12 anos e um mês de prisão relativa ao processo do  tríplex do Guarujá. 

Em abril de 2019, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reduziu a pena de Lula para oito anos e dez meses. Além disso, o  petista responde à acusação de ter sido beneficiado por reformas em um sítio em Atibaia, no  interior de São Paulo. Nesse processo, o petista já foi condenado em primeira instância a 12  anos e 11 meses de prisão. Resta ainda o julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região  (TRF-4), que é responsável por julgar os casos de condenações da primeira instância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *